LUTE

Combata o bom combate da fé. Tome posse da vida eterna, para a qual você foi chamado e fez a boa confissão na presença de muitas testemunhas - 1 Timóteo 6:12

SE DEIXE TRANSFORMAR

Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus - Romanos 12:2

ACEITE O SACRIFÍCIO

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna - João 3:16

VÁ NA CONTRA-MÃO

Converta-se cada um do seu caminho mau e de suas más obras, e vocês permanecerão na terra que o Senhor deu a vocês e aos seus antepassados para sempre. Não sigam outros deuses para prestar-lhes culto e adorá-los; não provoquem a minha ira com ídolos feitos por vocês. E eu não trarei desgraça sobre vocês - Jeremias 25:5-6

REFLITA A LUZ DE JESUS

Pois Deus que disse: "Das trevas resplandeça a luz", ele mesmo brilhou em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Cristo - 2 Coríntios 4:6

Pesquisar

23 de dezembro de 2004

PISANDO EM OVOS

Quem nunca se sentiu assim, não é mesmo? Pisando em ovos... é como me sinto nos últimos anos. Pisando em ovos, tento que engolir sapo atrás de sapo e nunca poder retrucar, nunca poder estabelecer uma linha de diálogo, travar um debate justo e honesto.

Isso é muito deprimente. É como se eu fosse um saco de pancadas, igual ao que eu estou planejando colocar na minha casa no próximo ano: só levo porrada, e nunca posso revidar. Revidar não, que não é algo cristão: mas ao menos dialogar. Detesto pessoas que não saibam dialogar e ver o óbvio, analisar a situação, pensar, refletir, usar de sua inteligência.

Minha vida inteira fui cercado de pessoas racionais e não consigo me relacionar com pessoas ignorantes e estúpidas ao ponto de não darem o braço a torcer diante de fatos, diante de raciocínio. E me ver forçado a ter uma pessoa destas fazendo parte da minha vida, mesmo que secundariamente, é muito doloroso. Acho que isso sim é pisar em ovos, de avestruz ainda por cima, daqueles bem grandões.

Sei que tem gente torcendo por mim e pela Cris, que estão orando por nós, que demonstram preocupação com a gente e com aquilo pelo que estamos passando. Muita gente que eu conheço parece não estar preocupado com aquilo pelo que estamos passando, e isso machuca um pouco, mas estes poucos que estão sabendo da história e que se compadecem de nós estão ajudando muito. Queria agradecer, por que uma palavra amiga e um ombro para chorar, mesmo que virtual, é presente de Deus mesmo.

A Cris, com certeza, precisa muito mais de ajuda do que eu, pois está sofrendo muito mais do que eu tenho sofrido. Não sei como ela suporta... e para piorar ela não consegue se abrir com outras pessoas nestas situações. Estamos em sinuca de bico... mas por Deus, isso tem que acabar. Como já venho dizendo, não suportamos mais. Seja o que o Senhor quiser.

20 de dezembro de 2004

OLHOS ABERTOS

Voltei a encontrar estímulo para escrever poesias e elas estão ficando no seguinte endereço que vou adicionar na minha lista de links ao lado: http://fotolog.terra.com.br/meiafase. Cada poesia é baseada em uma imagem, e cada imagem é baseada na poesia. Não pergunte qual vem antes (a poesia ou a imagem). Nem eu sei precisar isso.

O problema é que, no passado, eu escrevia poesias quando estava muito abalado com alguma coisa. Eu nunca consegui escrever uma poesia sequer quando estava bem, então você nunca vai ler uma poesia minha falando sobre coisas boas.

Sim... é o ¿exorcismo da mente¿ em ação novamente. Voltando às origens, escrevo novamente para me livrar daquilo que me atormenta o coração. Como eu acho que melhorei minha forma de escrita desde aquela época maldita (idos de 1995 até 2000) creio que, mesmo de conteúdo pesado, o que eu escrevo hoje em dia está ao menos um pouco mais refinado artísticamente falando. Por exemplo, agora minhas poesias rimam...

Sofrer parece ser a sina daqueles que vivem, não é verdade? Deus teria nos colocado na Terra, nos dado a vida apenas para isso? Para uma vida de privações e descontentamento e sentimento de culpa? Por que é tão fácil as coisas darem errado, seja com nós mesmos, seja com os outros? Por que tudo tende à entropia? Por que as vezes ser eu mesmo é simplesmente insuportável?

O ano novo está ai. Todos os anos a gente tem uma certa tendência de fazer uma auto-avaliação e uma pequena lista de metas para o ano seguinte. Todas as minhas metas este ano parecem ter sido realizadas com excessão de uma, e justamente a mais importante de todas. Que ela se cumpra em 2005 é o meu maior desejo: voltar a viver em comunhão com Deus, e não permitir que nada abale esta relacionamento.

Que Deus, do alto de sua misericórdia, me perdoe por este ano em que só me distanciei de suas veredas, e que permita que no ano que vem todos os problemas pelos quais eu e aqueles a quem amo passamos sejam vencidos, por que Deus é testemunha de que não aguentamos mais, que estamos massacrados e que não vemos outra saída a não ser um milagre da parte Dele.

Saúde, Deus. Saúde para fazermos o que temos que fazer. Saúde não é algo que conquistemos mas sim algo que Tu fornece, assim como a paz, o sustento e a salvação. Dá saúde aos que não a tem, Senhor Jesus. Pois assim como sem Tu nada somos a não ser sacos de ossos destinados ao pó, sem saúde nada somos a não ser sombras do que poderíamos ser. Dá saúde à casa daquela que amo e à minha casa também, Senhor. Saúde física, mental e espiritual para fazermos o bem e a sua obra.

15 de dezembro de 2004

AZEDUME REALISTA

O Sieber tem umas idéias meio parecidas com as minhas em alguns momentos... para os que me conhecem, me digam: isso ai em cima não é a minha cara?

14 de dezembro de 2004

FASES


Acima está uma imagem do Episódio III de Star Wars: Anakin/Darth vader dando um pau no Conde Dookan... esta eu vou querer ver.

Ontem a noite eu praticamente encerrei uma fase importante em minha vida. Importante, mas ao mesmo tempo longa demais e muito chata na maior parte do tempo: minha faculdade.

Eu e meu grupo entregamos o projeto de conclusão do curso, um software de gestão de fluxo de testes, e apesar dos problemas que enfrentamos inclusive no momento da apresentação fomos aprovados por nosso orientador. Com isso, passei em todas as matérias do ultimo ano, e ano que vem, só no primeiro semestre, farei uma dependência que deixei para trás, uma única matéria na qual reprovei em 2002.

Quando entrei na faculdade, em 1999, eu não imaginava este momento. Para ser sincero, tinha sérias dúvidas sob minha capacidade de conseguir me formar. Em 2000, quando comecei a namorar a Cris e quando me tornei crente em Jesus, porém, as coisas mudaram bastante e eu só reprovei nesta matéria desde então. Comecei a levar as coisas à sério como antes eu não levava.

Muita gente me ajudou muito neste período. Colegas e familiares. Conquistei isso pela misericórdia de Deus, tenho certeza. Ele derrama bençãos como esta sobre a minha vida o tempo todo. E não consigo me conformar com o fato de continuar a ser este cara ¿torto¿ mesmo diante de tantas coisas que Ele me dá e faz por mim...

Ano que vem começa uma nova fase em minha vida. É tempo para recomeçar a planejar e concretizar o meu casamento. E também é tempo para que eu possa enfim treinar Kung Fu como nunca treinei antes (inclusive estou tentando construir em casa um suporte para saco de pancada, para que eu possa treinar mais forte). Não pensem os mais pessimistas que eu me esqueci o que eu havia escrito aqui no ano passado sobre ser campeão mundial um dia destes. Não digo nem que eu vá participar de campeonatos, mas quero ao menos atingir um nível técnico e físico que me permitissem participar de um campeonato destes.

Também vai ser tempo para trabalhar de forma mais tranquila, e para tocar projetos que a muito tempo esperavam um tempo meu. O site da igreja, o site do zine e do Vocal Ictus são alguns exemplos.

E mais que isso, quero me dedicar de fato à Deus e ao seu reino, por que em 2004 eu acho que eu posso ter agido como tudo, menos como crente. Sei que não existe justificativa para os pecados e que eles são perdoados com o arrependimento verdadeiro perante o Senhor Jesus. Mas o arrependimento verdadeiro sempre conduz à conversão. O arrependimento sempre leva à mudanças de atitude, e é isso que eu quero que ocorra em meu coração.

3 de dezembro de 2004

UM SURFISTA NÃO TÃO PRATEADO ASSIM

A fadiga é uma condição miserável em que os seres humanos se colocam diante da velocidade e intensidade com que tem que fazer as coisas no dia a dia. Eu ando fadigado física, emocional, mental e espiritualmente. Me sinto acabado e sem condições de raciocinar direito, mas vamos lá...

Vivo com um sentimento de culpa pelas coisas que faço e pelas coisas que deixo de fazer. Sinto que a muito tempo perdi as rédeas de minha própria vida e não existem mais maneiras de voltar a me conter, o que de fato reconheço ser uma mentira. Sempre é possível se retomar o controle, basta estar bem motivado para isso.

Muitas vezes sinto que há algo de errado comigo mesmo sem saber o que é. Uma dor repentina qualquer que eu sinto em meu corpo, ou uma ação incorreta que eu tomo, ou ainda uma palavra mais ríspida que escapa da minha boca, como que vomitada pela parte mais podre e imunda da minha mente sem que eu possa conter. A ainda os momentos em que me sinto ferido e ninguém percebe, e os dias em que me sinto um coitado.

Nem sempre sou quem eu gostaria de ser, já que eu sempre quis ser alguém que os outros gostariam que eu fosse. Eu nunca consegui definir para mim mesmo o tipo de pessoa que eu gostaria de ser de acordo com meus padrões e valores pessoais. Isso sim é um problema!

Pois é, nem sempre estou feliz da vida cantarolando alguma besteira sem sentido, como muita gente gostaria. Mas este sou eu e sei que é assim que eu sou no final das contas, ou sou assim devido à repressão e desejo de ser quem não sou. No final das contas, tento ser alguém que os outros querem que eu seja e não alguém que eu mesmo gostaria de ser. No fim, não sou nada.

O que está me faltando de verdade, bem lá no fundo, é me aceitar como eu sou, compreender que nem todos vão se agradar comigo, que devo dar uma banana para eles e procurar ser feliz comigo mesmo. Não me aceito por que os outros não me aceitam, e sinceramente, nunca aceitaram e duvido que um dia aceitem. Muita gente MESMO coloca na minha cabeça que eu não posso me aceitar como sou e isso tem gerado em minha mente uma confusão enorme, a ponto de eu ficar pensando coisas bobas sobre mim mesmo. Isso acaba com a auto-estima do cidadão, gente!

Quero me aceitar assim como sou. Não por que é bonito de se dizer. Não por que meus defeitos não são defeitos. Mas sim por que os defeitos fazem parte da pessoa. Muito evangélico vai querer me dizer que não podemos pensar assim com relação a estes recantos de nosso ser que muitos julgam incorretos pois seria o mesmo que se conformar com o pecado... mas irmão ou irmã, a verdade é que eu estou cansado de lutar contra mim mesmo e contra aquilo que eu sou. Não estou cansado de lutar contra o pecado, mas sim contra aquilo que eu sou de fato!

Mesmo eu sendo assim, sei que Deus me sustenta no que deve me sustentar. Se eu falho ou se eu acerto eu não sei. Mas sei que não aguento mais esta história de nunca me aceitar. E vou lutar para ficar de bem comigo mesmo de hoje em diante da forma como eu sou.

Uma explicação do título deste post: o Surfista Prateado é um dos heróis de quadrinhos mais legais que existe. Norrin Haad sacrificou sua vida à Galacticus para poupar a vida de todos os habitantes de seu planeta e acabou virando seu arauto, anunciando a outros planetas a sua destruição pelo assim chamado devorador de mundos. O Surfista Prateado não aceitava bem quem era pois vivia se lamentando de seus erros do passado, e por causa disso ele é considerado um dos heróis de quadrinhos mais filosóficos de que se tem notícia, fazendo questionamentos importantes sobre o sentido da vida e do que mais importante ela tem, como o amor, a amizade e a felicidade. Eu me sinto um pouco como ele.

23 de novembro de 2004

GOLFINHOS SALVAM NADADORES DE ATAQUE DE TUBARÃO

Notícias como esta sempre me deixam emocionado pacas! Depois dizem que bicho não tem sentimentos ou inteligência... taí os golfinhos como prova viva de que bicho não só sabe o que é o bem como também faz o bem. São melhores que a maior parte das pessoas que eu conheço...

Terça, 23 de novembro de 2004, 11h41
Golfinhos salvam nadadores de ataque de tubarão

Um grupo de nadadores disse que golfinhos os protegeram de um tubarão branco na costa da Nova Zelândia. Os salva-vidas estavam treinando em uma praia perto de Whangarei, no norte do país, quando eles viram um tubarão de três metros. Neste momento, cerca de seis golfinhos apareceram e começaram a perseguir o tubarão para ajudar.
Os golfinhos ficaram em volta dos nadadores por cerca de 40 minutos, até que eles conseguiram voltar à praia. Biólogos marinhos dizem que comportamentos desse tipo não são raros em golfinhos.

Segundo especialistas, os golfinhos são considerados um dos mamíferos mais inteligentes e gostam de ajudar aqueles que precisam.

O salva-vidas Rob Howes estava no mar com dois colegas e sua filha. Segundo ele, o tubarão apareceu de repente perto de onde eles estavam. Foi aí que os golfinhos apareceram e fizeram com que os nadadores ficassem juntos.

De acordo com os salva-vidas, os golfinhos estavam agitados e batiam repetidamente a cauda na água, provavelmente para tentar impedir que o tubarão se aproximasse ainda mais.

19 de novembro de 2004

IMPLOSÃO


Não sei o que aconteceu. Tantas coisas ruins aconteceram nestes dias... para piorar meu computador, que eu mandei fazer upgrade devido à queima do meu antigo processador, teve um porém: meu HD de 160Gb, que comprei a menos de 3 meses e onde estavam todos os meus dados, pifou. E eu não tenho backup de nada e não estou conseguindo contactar o vendedor para acionar a garantia... estou sem grana para nada também, na maior pindaíba, e estou sofrendo com os problemas que citei anteriormente na familia da Cris. Ontem eu "surtei" de raiva quando me ligaram avisando sobre meu HD... e a noite, quando eu pensava que ia explodir... simplesmente me acalmei, de uma hora para outra!

Dizem que este estado pode ser perigoso se minha mente simplesmente suprimiu o ódio e o desespero que eu vinha sentindo como forma de proteção (ou bloqueio, isso acontece muito). Como um psicopata eu posso matar alguém ou fazer uma besteira incrível sem me dar conta... mas não sei se foi isso o que aconteceu (espero que não). O que ocorreu, acho, foi o ápice do processo de reaproximação que Deus tinha para mim. Busquei a Ele, e orei de coração aberto como a um bom tempo, tristemente admito, não o fazia. Busquei-o lembrando-me dos ensinamentos de Jesus, que nos diz para atirarmos sob ele todas as nossas anciedades. Lembrando-me do trexo de uma das músicas de louvor que eu mais gosto: "Os que confiam no SENHOR são como o monte de Sião, que não se abala mas sim permanece para sempre". Chorei diante de Deus, e como no salmo que está publicado como versículo atualmente neste blog, "O SENHOR vela pelos simples; achava-me prostrado, e ele me salvou. Volta, minha alma, ao teu sossego, pois o SENHOR tem sido generoso para contigo. Pois livraste da morte a minha alma, das lágrimas, os meus olhos, da queda, os meus pés."

Ajudou também o fato de um professor da faculdade ter dado, para prova final da matéria de antropologia teológica, um texto intitulado "O DOM SUPREMO", adaptado do inglês por Paulo Coelho, e acredite, o texto tem várias aberrações à palavra de Deus saídas da cabeça daquele maluco. Mas mesmo com as incoerências e deturpações, o texto trás alguns ensinamentos muito válidos sobre o verdadeiro significado do amor usando Cristo como exemplo máximo de tal capacidade. Isso me ajudou um pouco também, pois percebi que eu, de fato, nunca amei de verdade e preciso me esforçar para amar. E percebi que era isso o que estava faltando em minha vida no ultimo ano: amor! Não receber, mas sim dar amor. Eu não estava amando e isso estava me matando. Por mais difícil que seja, devo a partir de hoje me dedicar integralmente a amar. Mas amar como Deus quer que eu ame e não o amor fútil e falso que a humanidade tem definida para ela mesma.

Como é bom saber que este amor, tão difícil de ser compreendido, aceito e praticado pelas humanos, é tão facilmente sentido por Deus em relação a mim e a você. Como é bom saber que mesmo estando longe, Deus me observava, me cuidava e me tratava. Os clamores da alma são diferentes dos clamores da carne. Que bom que Deus, infinito e revestido de todo o poder, entende isso, e me busca por saber que dentro de minha alma eu já tomei a decisão de me entregar a Ele, mesmo que eu não me comporte desta forma o tempo todo, pecando contra Ele.

Obrigado Pai... por me tratar o coração, me trazer de volta à sua presença, e acima de tudo, me perdoar não por méritos meus, pois sou injusto e repugnante diante da sua santidade, mas sim me perdoar por amor ao Seu nome e por amor de mim.

17 de novembro de 2004

MEU ESTADO HOJE: SALMO 25

01 - A ti, SENHOR, elevo a minha alma.
02 - Deus meu, em ti confio; não seja eu envergonhado, nem exultem sobre mim os meus inimigos.
03 - Com efeito, dos que em ti esperam, ninguém será envergonhado; envergonhados serão os que, sem causa, procedem traiçoeiramente.
04 - Faze-me, SENHOR, conhecer os teus caminhos, ensina-me as tuas veredas.
05 - Guia-me na tua verdade e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação, em quem eu espero todo o dia.
06 - Lembra-te, SENHOR, das tuas misericórdias e das tuas bondades, que são desde a eternidade.
07 - Não te lembres dos meus pecados da mocidade, nem das minhas transgressões. Lembra-te de mim, segundo a tua misericórdia, por causa da tua bondade, ó SENHOR.
08 - Bom e reto é o SENHOR, por isso, aponta o caminho aos pecadores.
09 - Guia os humildes na justiça e ensina aos mansos o seu caminho.
10 - Todas as veredas do SENHOR são misericórdia e verdade para os que guardam a sua aliança e os seus testemunhos.
11 - Por causa do teu nome, SENHOR, perdoa a minha iniqüidade, que é grande.
12 - Ao homem que teme ao SENHOR, ele o instruirá no caminho que deve escolher.
13 - Na prosperidade repousará a sua alma, e a sua descendência herdará a terra.
14 - A intimidade do SENHOR é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança.
15 - Os meus olhos se elevam continuamente ao SENHOR, pois ele me tirará os pés do laço.
16 - Volta-te para mim e tem compaixão, porque estou sozinho e aflito.
1'7 - Alivia-me as tribulações do coração; tira-me das minhas angústias.
18 - Considera as minhas aflições e o meu sofrimento e perdoa todos os meus pecados.
19 - Considera os meus inimigos, pois são muitos e me abominam com ódio cruel.
20 - Guarda-me a alma e livra-me; não seja eu envergonhado, pois em ti me refugio.
21 - Preservem-me a sinceridade e a retidão, porque em ti espero.
22 - Ó Deus, redime a Israel de todas as suas tribulações.

STAR WARS EPISODE III


Yoda, sozinho no outrora agitado templo Jedi de Coruscat, após um ataque durante os eventos que serão vistos no EPISÓDIO III de STAR WARS. Tenho me sentido assim ultimamente...

16 de novembro de 2004

INCERTEZAS

Estou assim como quem não tem mais pensamentos e lampejos. Triste, cético e distante, encolho-me em volta de mim mesmo tentando desaparecer. E a tristeza não é devido à perda, mas sim devido à incapacidade. Ou será que sinto pela perda de minha paz? Mais ou menos como Renato Russo cantou certa vez, "um dia pretendo tentar descobrir por que é mais forte quem sabe mentir... mas não quero lembrar que eu minto também".

Queria entender por que as coisas acontecem, por que parece que tudo está dando errado e por que a vida da mulher que eu amo está um inferno, e conseqüentemente a minha também. Mas será que saber serviria para alguma coisa? Entender ajudaria em uma situação como esta?

Fico pensando se Deus está fazendo isso deliberadamente, ou se tudo não passa de um aglomerado de situações aleatórias que por um acaso foi acontecer conosco. Muitas pessoas simplesmente internariam a mãe numa situação como esta, mas esta opção parece completamente impossível para nós, já que é compreendida como sinônimo de fraqueza, desistência e abandono.

Mas o que fazer quando fica claro que se não todos mas sim a grande maioria dos problemas que nos afligem parecem ter sua origem em uma única pessoa?

Confuso e triste resta-me fazer o que? Apenas me entregar à Deus e pedir misericórdia, mas parece que não tem adiantado. Tenho sentido-me tão imundo que não me vejo digno de pedir nada ao Pai, e sei que isso é errado. Mas a verdade é que afastei do Senhor nos últimos meses e não me sinto digno de agora, enfrentando uma situação terrível, me aproximar Dele para obter ajuda nesta situação. Não é apenas dificuldade em me humilhar perante o poder de Deus (é isso também), mas o principal é pensar que isso não adiantaria por eu mesmo achar que eu não estaria sendo sincero.

Como é difícil ser crente meu Pai (ou ao menos tentar seu)... e como dói a vida neste mundo! Como as dificuldades nos dilaceram, e como o pecado mói nossas almas ao ponto de não sentirmos mais nada a não ser a dor de ter uma vida miserável! Ai de mim Senhor... ai de mim que não sei o que vai no meu próprio coração! Ai de mim Jesus, que não tenho domínio sob meus próprios atos e sob minha própria mente! Ai de mim meu Deus, que não sei o que fazer, nem como agir, nem como pedir, nem como orar, nem como suplicar, nem como viver, nem como agir, nem como chorar, nem como me humilhar, nem como me converter, nem como mudar. Ai de mim por que sou falso e mesquinho, e fraco, e medroso, e pequeno, e não sei mais o que fazer diante de tanta coisa que vem acontecendo, e diante de tanta dor e tanto sofrimento...

O que vai ser de mim, Deus? Contendo as lágrimas diante diante do meu computador aqui no meu trabalho, preocupado em não despertar preocupação em meus colegas de trabalho diante do meu desespero? Apertando dentro do meu peito o desespero em ver que eu não posso fazer nada para ajudar, e muito menos nada para resolver as dores não do mundo, mas sim daqueles que estão próximos a mim, daqueles a quem amo?! E tão pouco sem saber como agir! E muitas vezes tento medo de agir ao saber o que fazer?!

Inútil eu sou, indigno de lamber o pó de seus pés, indigno de ser chamado de seu servo, pois só me aproximo de ti quando me convém. Quem sou eu para querer resolver algo? Ou consertar uma situação tão impossível humanamente falando como esta que minha noiva vive? Quem sou eu para achar-me um dia justo perante os olhos de Deus e pedir para ele algo e certamente ter em troca? As coisas acontecem de acordo com a vontade de Deus, e assim será queira eu implorando ou não.

Eis ai o motivo do meu choro doído que estou engolindo de forma tão precária agora. Não sei o que vai acontecer. Não sei se minhas orações serão ouvidas, sendo eu quem sou e agindo como tenho agido, e fazendo o que tenho feito. Tudo o que eu tenho conseguido fazer agora é conter o choro dentro de mim, e ter medo, e me entristecer. Por que tudo o que resta fazer é confiar em Deus... por mais difícil que isso esteja sendo para mim.

11 de novembro de 2004

DANI, O CACHORRO

Tô cansado. Muito cansado. Meu computador queimou a mais de uma semana e estou correndo para arrumá-lo, e estou trabalhando e estudando muito. Acho que vou me lembrar de 2004 não com muitas saudades, já que tem sido um ano onde eu tenho estado num ritmo insano desde o início... que Deus me perdoe, mas eu quero descansar.

Bom, queria escrever mais para falar de um filme que vai estrear em 2005 e que desde já promete muito e eu vou querer ver com toda certeza. Aliás, o próprio nome do filme já é legal. "DANNY, THE DOG", ou seja, "DANI, O CACHORRO".

Bom, o filme é simplesmente destruidor. A produção e história são de Luc Besson (O Quinto Elemento, Joana Dark, NIKITA, TAXI, dentre tantos outros filmes franceses animais que eu gosto muito). A direção é de Louis Letterier (Carga Explosiva). A trilha sonora é inteiramente feita pelo MASSIVE ATTACK. O protagonista da história é interpretado por ninguém menos que JET LI e os coadjuvantes são pesos pesados do cinema como Morgan Freeman e Bob Hoskin. As coreografias são feitas por Yuen Woo-Ping (Matrix, Kill Bill, etc). Ou seja... tem tudo pra ser um filme 10!

A história é fenomenal: um cara cria uma criança chinesa... mas a cria como um cachorro! Como o pessoal do site OMELETE comentou no site deles, "O filme traz a história de Danny (Jet Li), um escravo que cresceu sem qualquer tipo de educação humana normal. Com a mente e personalidade de uma criança ele recebeu apenas um tipo de instrução de seu captor: como lutar.
Tratado como um cachorro por seu dono, Bart (Hoskins), que o obriga a usar uma coleira, Danny briga em clubes ilegais de luta. Porém, depois de um acidente que deixa Bart em coma, Danny conhece um gentil cego afinador de piano (Freeman), que usa a música para ensinar alguma humanidade a ele".

O filme promete por que normalmente Luc Besson não costuma contar histórias bobas ou chatas, e este filme não vai ser só um filme de artes marciais, com toda certeza. Mas o mais interessante é que eu me identifico com Danny: tenho me sentido como um cachorro. A desvantagem é que eu não sei lutar como Jet Li. Já seria algo a se pensar...






27 de outubro de 2004

A GOOD WAY TO DIE

Esta ai é a YZF-R1 da YAMAHA, um "motasso". 110 cavalos, motor de 6 velocidades, injeção eletrônica, 20 valvulas e 4 cilindros... tudo por "apenas" U$18,000.00.

OK, admito que é um sonho idiota tem uma moto destas, mesmo por que eu quero uma para mim por que eu simplesmente não vou ter dinheiro para comprar um carro nos próximos anos e preciso desesperadamente de um meio próprio de locomoção. Moto é barata de comprar, fácil de estacionar e muito econômica, ou seja, é a solução ideal para mim, não tem como não admitir.

Os contratempos e perigos dela (acidente, roubo, chuva, etc) já levei em conta. A questão da segurança é preocupante, mas eu não vou comprar uma moto para ficar correndo, e vou sempre prestar bastante atenção. Então o plano é o seguinte:

Vou tirar carteira de moto neste final de ano sem dizer nada a ninguém, por que todo mundo vai querer tirar esta idéia da minha cabeça e eu não quero mais gente me azucrinando por causa disso. Depois de tirar a carta, vou comprar uma YBR pra mim.

A YBR é uma moto de baixa potência e alta economia, ou seja, é uma moto pra andar e não voar. Me disseram que não é tão visada quanto a CG da Honra para roubos e que tem uma mecânica tão boa quanto.

Então, se Deus quiser, ano que vem vocês vão me ver andando por ai na minha motoca, que aliás, já tem nome mesmo antes de eu comprá-la: "INDEPENDECY". Não vou dizer que este é um bom jeito para morrer (e eu não quero morrer me acidentando), mas com certeza será uma boa maneira de exercer minha independência, por que estou de saco mais do que cheio de depender dos outros para ir e vir.

18 de outubro de 2004

O QUE É DEUS?

Conheço gente que se pergunta dos desígnios da igreja. Tem gente que até mesmo se pergunta se a igreja é representação real do reino de Deus da Terra, sendo que tantas por ai fazem coisas tão erradas, roubando os fiéis e ensinando-lhes coisas que não condizem com o que a palavra de Deus ensina de verdade.

Mas tem pessoas que até mesmo se perguntam se a Bíblia é mesmo a palavra de Deus ou se ela é apenas produto de uma literatura religiosa humana! Ora esta... conheço muitas pessoas que sequer acreditam que Deus existe e se perguntam o que afinal é Deus! E pior... conheço pessoas que acham que conhecem a Deus, mas não o conhecem! Conhecem sim uma imagem irreal de sua verdadeira forma, uma figura distorcida pela mente humana e pela mente de Satã (sim, ele mesmo, o tinhoso). Pessoas que julgam ser Deus um tolo, ou um Deus liberal que tudo aceita, que tudo permite e que a tudo é condizente (e que portanto faria de sua palavra algo inútil, já que não importa o que façamos, tudo estará bem no final).

Crêem em um Deus de amor (o que ele de fato é) e não um Deus pai que castiga seus filhos para correção de seus erros (o que Ele de fato é).Não em um Deus que é capaz de mandar seus povo dizimar povos inteiros (o que de fato Ele fez). Não crêem no Deus de Israel, no Senhor dos Exércitos, aquele que fez seu povo caminhar por 40 anos no deserto por causa de seus pecados e que não hesitou em mandar para a morte maus terrível o seu único e amado filho, Jesus Cristo, o salvador e senhor de nossas vidas.

Não... não acreditam neste Deus, mas sim no Deus idealizado pela pequena e insana mente humana. Um Deus apenas de paz e amor, que não castiga, que não manda para o Inferno aqueles que não seguem seus desígnios, que não condena à morte eterna, mesmo que tristemente, aqueles que o rejeitaram em vida.

Deus é um Deus de paz e de amor, mas muito mais também. O problema é o conceito que as pessoas tem do amor. Amar não é apenas fazer coisas boas aos olhos da pessoa amada. Amar é fazer o necessário para o bem da pessoa amada. E isto inclui fazer coisas que a pessoa amada não entende como boas, como priva-la de certas coisas, ou castigá-la quando necessário.

Sim, o Deus em que as pessoas querem acreditar é um Deus abobalhado ao meu entender. Não um pai de verdade, que tem as manhas de pegar o seu filho e lhe dar umas belas palmadas na bunda quando este apronta algo. Não um pai de verdade que põe o filho de castigo e, quando percebe que ele aprendeu a lição, o tira do castigo, e lhe á um abraço carinhoso e um beijo no rosto cheio de amor, e lhe dá um doce e o leva para um parque de diversões.

O Deus que as pessoas querem acreditar está mais para um avô que mima o neto do que para um pai que educa seu filho. Você sabe que tipo de adulto se torna uma criança mimada... e mais do que isso, sabe que tipo de adulto se torna uma pessoa educada com amor real.

O mais interessante é que as pessoas não aceitam que Deus possa ser assim, que possa colocar limites em seus filhos para que estes não se disvirtuem (e além destes limites encontra-se o pecado).As pessoas não o aceitam assim e acabam não gostando daquele Deus, buscando outro tipo de Deus para adorar e seguir, mesmo que seja sabido que existe um só Deus e que existe um só caminho para chegar até ele, e que este caminho não passa necessariamente por nenhuma igreja. Este caminho é Jesus Cristo, e ai daquela igreja que disser que ela é a detentora da verdade absoluta de Deus e que ela é o caminho para se chegar aos céus.

As pessoas não gostam de seus pais quando pequenos por causa das privações e castigos que estes lhes impõe, mas, quando amadurecem, percebem que seu pai fez aquilo por amor, e que aquela disciplina fez delas pessoas melhores. Com Deus é exatamente a mesma coisa... não é a toa que ele se entitula Deus pai e que somos chamados de filhos quando recebemos seu perdão por herança do sacrifício de Jesus. Como um pai, percebemos no quão maravilhoso Deus é por nos disciplinar e nos fazer percorrer o caminho correto, os seus desígnios e planos para nós.

Deus é, portanto, nosso pai. Mas Deus é, antes de tudo, Deus. A mente humana nunca poderá entender seu mistério por completo aqui neste mundo. O que podemos fazer é busca-lo constantemente. Mas para tanto, a pessoa deve se perguntar se de fato está disposta a buscar a verdade, colocando seus preconceitos de lado, o que é uma coisa muito difícil de se fazer. Mas se a pessoa não estiver disposta ao menos a abrir seu coração para averiguar se aquilo é ou não verdade, a jornada já está fadada ao fracasso desde antes do primeiro passo.

Termino este post dizendo que eu estava bem desinteressado nos ultimos tempos por qualquer coisa ligada à Deus. Paralelamente, percebi que minha vida estava indo de mal a pior. Não materialmente, pois graças à Deus tenho meu emprego. Digo que me faltava um pedaço e um vazio ainda toma conta do meu ser. Por um tempo estive anestesiado, mas a anestesia passou e agora sinto fome, e muita. Fome de Deus pois não tenho me alimentado de sua palavra... os motivos da anestesia ainda não estão claros para mim, mas o simples fato de estar sentindo fome novamente é um bom sinal. Que Deus me perdoe por minhas intransigências e pelos meus pecados (que em minhas orações tento nomear um a um). Sei que muitas pessoas não aceitam que uma série de coisas são pecado perante Deus, e que pecados não tem distinção de importância perante o Senhor. Mas no fundo sabemos o que é pecado e o que não é... e dos meus, peço perdão e amor do Pai para superá-los... e misericórdia do Senhor para que eu possa efetivamente reconhece-los e me arrepender profundamente (e dolorosamente se necessário), pois sem arrependimento real, que leva à conversão e ao abandono do pecado, não há perdão.

Me ajuda Pai... por que não tenho forças por mim mesmo para seguir o caminho certo. Novamente a música "Recomeçar" da Aline Barros diz tudo o que eu sinto... mesmo um pouco anestesiado ainda:

"Pai, tá difícil manter o caminho, tenho andado em meio a espinhos, nem sempre é tão fácil acertar. Pai, emoções descalçam os meus pés, me roubando em meio a cordéis, que me enlaçam em minhas fraquezas. Pai, eu nem sei o que te falar, mas eu quero recomeçar. Me ajuda nesse instante! Preciso da tua mão, vem me levantar! Faz-me teu servo Senhor, me livra do mal... quero sentir o teu sangue curar-me! Agora meu Senhor, vem restaurar-me!"

11 de outubro de 2004

FERIADÃO

Resumo das atividades: fiquei jogando Ragnarok e até agora aconteceram algumas coisas bacanas lá. Tirei alguns screenshots para mostrar:

Primeiro, por meio do meu personagem e avatar QUICK SILVER (o arqueiro mais rápido de Payon), fui para a capital de Rune Midgard, Prontera, e me deparei com um movimentado comércio de rua! Parecia a 13 de Maio daqui de Campinas! E o pior, até mendingo tem no jogo! Tem uns carinhas que ficam pedindo dinheiro ou itens pra quem encontrar no meio da rua, impressionante!



Depois, eu consegui ir a um dos pontos turísticos mais bacanas do jogo, que é o observatório flutuante da saída da cidade de Geffen. Impessionante!



Por fim, consegui finalmente achar uma turma bacana e bem educada para fazer um grupo fixo. Esta imagem é de quando a gente se reuniu pela segunda vez.



No mais, achei uma revista aqui em casa que tinha uma coisa triste, mas ao mesmo tempo bacana. É uma mensagem, publicada na edição nº06 do Almanaque do Cascão pela editora Globo em 1989, sobre os pesares de Mauricio de Sousa e equipe pela então morte do gênio dos mangas Osamu Tezuka, um dos artistas que eu mais admiro. Scaneei a mensagem e publico aqui. Osamu deixa muitas saudades até hoje...

6 de outubro de 2004

AAAAAAAAAAAAHHHH!!!

Algumas coisas que eu tomei conhecimento hoje, como se um raio tivesse caído em minha cabeça e me esclarecido uma série de coisas:

1 - EU SOU MOVIDO À CAFEÍNA
Desde segunda feira ultima eu estava sem tomar café. Pode perguntar para os que tem a infelicidade de conviver comigo durante a semana: eu estava completamente zumbi, perdi hora pra trabalhar e estava muito mais irritado do que o normal (digamos, à níveis insuportável para manter qualquer pessoa ao meu lado por mais do que 5 minutos sem provocar a ira nela). Hoje comprei um potinho de Nescafé e fiz um café tão forte pra mim que sua consistência ficou quase como a de uma vitamina de banana com aveia.

O resultado?! Estou bem acordado, minha produtividade voltou ao normal e meu nível de irritação voltou ao normal. Sou ou não movido ao pó preto? Já me disseram que café é droga... e droga pesada! Então isso faz de mim um junkie?

2 - ODEIO O CAMBUÍ E QUEM MORA AQUI
Campinas é o lar da estirpe mais desagradável de pessoas que eu conheço (posso falar por que nasci aqui e faço parte desta estirpe conhecida como CAMPINEIROS). Mas dentre este povo triste existe um clã que é absolutamente nojento, e é o das pessoas que moram no bairro do Cambuí. Não sei... acho que eles acreditam MESMO que são pessoas COOL, indo ao Pão de Açúcar no Centro de Convivência às 07:30 da manhã para comprar ítens de ultima necessidade (como por exemplo um pacote de sucrilhos da Kellogs, não pode ser de outra marca, ou uma garrafa de vinho) com roupa de ginástica e seus cachorrinhos ridículos que ficam cagando a cada 10 metros, impestiando as ruas.

Aliás, taí uma coisa detestável neste bairro: estes idiotas que moram aqui tem estes cachorros nojentos que cagam pela rua como se estivessem em uma enorme privada, e não limpar a merda que estes bichos inocentes fazem. A culpa não é do cachorro, é do dono! Não deviam castrar o cachorro, deviam castrar o dono, que é um otário de primeira qualidade e não deveria disseminar seu DNA para gerações futuras, estragando (ainda mais) a raça humana!

Ok, ok.... nem todos que moram no Cambuí são assim, reconheço. Mas a maioria é, e estou detestando este bairro por causa deles! O bairro em sí é muito bonito, mas para variar, o que estraga é o povinho que mora aqui.

Ah! Outras coisas que eu detesto no Cambuí: o pouco asfalto que tem entre uma cratera e outra nas ruas, os assaltantes e os restaurantes caros (onde somente pessoas "finas" vão comer merda de peixe e acham lindo isso, e depois saem de lá e se te cruzam na rua, te olham como se você fosse menos do que a merda que os cachorrinhos idiotas deles deixam nas ruas). Fala sério... e eles se julgam os maiorais. Meu... como eu detesto este povo... e como eu detesto estes motoristas babacas! Campinas tem os piores motoristas do país. Se fosse só dirigir ruim até vá lá, mas o problema é que o povo daqui é muito sem educação. Tá certa a minha noiva, quando a gente casar a gente tem que dar um jeito de mudar de cidade. Isso aqui é um terror e só um milagre de Jesus poderia sarar este povinho miserável...

Bom, com isso eu termino meu desabafo de hoje. Estou estressado pra caray devido à faculdade e o trampo que estou tendo com ela e com meu próprio serviço. Eu preciso de férias! Mas como não posso tirá-las agora, meu subconciênte tem usado uma válvula de escape poderosa para mim: reclamar e xingar. Meus amigos na faculdade podem confirmar que de cada 10 palavras que eu falo umas 3 são palavrões. Não pense que eu me orgulho disso... mas no momento é a única forma de aliviar o estresse que eu estou tendo...

1 de outubro de 2004

DESAJUSTADO

Me veio à mente agora alguns eventos desagradáveis que ocorreram comigo quando eu era criança, quase como visões. Percebi que eu sou desajustado e anti-social desde pequenininho, e que eu tinha reações que a maioria absoluta dos garotos da mesma idade e inseridos no mesmo contexto social, familiar e temporal não teriam. Realmente muita coisa da nossa infância explica nossa personalidade quando adultos...

24 de setembro de 2004

APREENSÃO

Domingo está chegando, e com ele o final de semana. Sinto algo se mexendo dentro de mim, pois voltarei à igreja após quase um mês de ausência. Algumas pessoas vão até me estranhar, acho. Vão achar que sou visitante...

O fato de não dormir mais na casa da minha noiva vai complicar as coisas, ao menos até eu comprar o meu carro. Não vou na igreja à noite por que não terei como voltar para casa após isso, mas quando eu puder comprar meu veículo, e eu já estou tomando providências para fazer isso em alguns meses, acho que a situação vai se normalizar.

Enquanto isso vou levando. Minha apreensão fica quanto a retomar minha comunhão com Jesus. Ando tão atordoado (pra não dizer anestesiado ou sonado) devido a todas as coisas que vem acontecendo, aliado à fadiga (pra não dizer falência cerebral) que venho enfrentando devido ao trabalho e ao ultimo ano da minha faculdade (que ainda vai ganhar um post unicamente dedicado à ele) que não me sinto em condições de fazer nada a não ser descansar em todos os momentos em que eu puder.

Mas quero manifestar que mesmo assim, eu quero e sei que isso ocorre: que Deus mantenha-se no domínio de minha vida, mesmo eu sendo assim, tão falho, tão fraco, tão tolo, tão inútil. Ainda bem que ele enviou à Jesus para nos salvar. Quando eu seria merecedor e digno do nome Dele? Estou mais para ateu ou afastado nos últimos dias do que para crente... não tenho me julgado mais no direito de usar esta palavra como referência a mim mesmo.

Eu sou apenas um pecador que se arrepende de seus atos, mas que os reincide dia após dia. Quem será que eu sou para Deus então? Tenho me perguntado muito se meu nome está escrito no livro da vida. Olhando para meus atos nos últimos meses, tenho achado que não... mas quero mudar isso, só não sei como me mudar para tingir este objetivo.

Na verdade não nos mudamos, que nos muda é Deus de acordo com seu plano maravilhoso. Que ele se cumpra em mim e eu saia deste ostracismo...

20 de setembro de 2004

ANATOMIA DA CRISE

As duas ultimas semanas foram terrívelmente difíceis. Um turbilhão de coisas ocorreu. Foi como se um vento forte tivesse soprado: minha vida toda balançou e quase ruiu. Pensamentos povoaram minha mente, e tudo passou a ficar tão confuso que eu comecei a pensar em tomar decisões sobre os rumos de minha vida em todos os sentidos.

Pensei em terminar minha relação com minha noiva, e isso a machucou profundamente. No momento em que eu mais deveria estar presente, no momento em que ela mais Justificarprecisou de mim, eu "pipoquei". No instante em que ela mais precisava de um homem ao seu lado, eu falhei. Não quis me envolver com a situação em que ela estava, e isso a machucou. E machucou a mim mesmo, pois falhei para com ela e para comigo. Como pretendo ser um marido se diante de uma situação difícil destas eu simplesmente meti o rabo no meio das pernas e desapareci? Comecei a duvidar mais ainda de mim.

OK, sou humano e suscetível à falhas terríveis como esta, mas isso não me livra de me sentir alguém não merecedor de confiança conjugal. Mas se você tem um relacionamento com alguém, o ideal é que você jogue limpo desde o início. Não oculte informações à outra pessoa mesmo que sejam coisas que você tem certeza que causarão uma briga ou um sentimento de desconforto (seu ou da outra pessoa). Não deixe de contar à outra pessoa como você se sente, ou como você quer que as coisas sejam na relação. Joguem aberto um com o outro se algo o esta deixando chateado, por que se não, as coisas vão se acumulando e você acaba ficando de saco cheio, e explode quando a situação apertar. Foi o que aconteceu comigo. Foi bom ter falado tudo, mas eu confesso que deveria ter feito isso em outro momento, bem antes ou bem depois dos acontecimentos. Mas do jeito que as coisas estavam, não dava pra suportar mais, e acabei conversando a respeito com minha noiva. Foi doloroso, mas agora parece que está tudo bem.

Muitas pessoas com quem eu falei me deram conselhos, mas somente uma me disse o certo a ser feito, e este certo só pode ter vindo de Deus, por que era exatamente o contrário do que eu, imerso na emoção, queria fazer. Mas mesmo sendo o inverso, me parecia a coisa certa a ser feita. O problema era o medo.

Mas como disse, após mais um final se semana de lágrimas, tudo parece bem agora. O processo foi doloroso, mas agora que consegui dizer TUDO o que me incomodava e a forma como eu quero levar nosso relacionamento daqui para frente, eu acho que as coisas vão melhorar. De qualquer forma, está entregue nas mãos do Senhor... já passei por tanta coisa que a única explicação existente para eu ainda estar com minha noiva é milagre de Deus.

Ainda estou com a alma moída e dolorida, assim como a alma de minha noiva também deve estar. Já faz um mês que não vou na igreja, e pelo que sei, muita gente tem pensado besteira a meu respeito devido a isso. Alguns acham que não vou mais na igreja por que não quero mais saber de nada com Deus. Outros, acham que não vou na igreja por que não gosto do pastor, ou por que não gosto das pessoas de lá. Outros devem até achar que eu nunca fui crente de fato...

O ser humano é problemático demais, e sempre pressupõe coisas as quais ele não tem como saber a resposta. Normalmente o ser humano pressupõe coisas ruins, e acham que se algo está ruim, é devido à elas. Acho isso um pouco de egoísmo. A pessoa acha que as coisas acontecem (boas ou, neste caso, ruins) por causa delas. Eu aprendi isso na marra a tempos atrás. Não sou o centro das coisas nem entre minha familia, nem entre meus amigos. As coisas nem sempre acontecem por nossa culpa ou mérito. As vezes as coisas acontecem por que simplesmente tem que acontecer, ou por que somos fracos.

Não estava indo na igreja por problemas pessoais e por fraquezas de caráter e espírito. Não espero que entendam, nem que aceitem, mas estou passando por um momento de "troca de peles". O problema existe e estou tentando solucioná-lo, mas vocês sabem como o ser humano é. Enquanto isso, vão continuar a pensar o pior de mim, ou que o problema tem sua causa nelas mesmas. Nada disso é verdade, eu e Deus sabemos disso, mas como fazer com que as pessoas saibam disso também? De qualquer forma, pretendo voltar à igreja na próxima semana, ao menos de manhã. A noite ainda não vai dar... só quando eu comprar um carro. Não vou mais dormir na casa da minha noiva, foi uma das coisas que acertei com ela, e com isso não vou ter como voltar para casa de noite. Faz parte...

Agora quero falar sobre 2 coisas legais (chega de tristeza e preocupação).

A primeira é que fiz uma pesquisa na Internet semana passada e descobri que possivelmente eu tenho sangue judeu por parte da familia do meu pai (Fontes). Bom, nenhuma novidade, afinal os judeus ficaram espalhados pelo mundo por séculos, a miscigenação era algo inevitável. Mas o fato é que na Espanha (terra dos avós ou bisavós do meu pai) a familia Fontes era judia em seus primórdios. Bem, como eu disse, possivelmente (e não certamente) eu tenho DNA judeu. Sinceramente isso não vai fazer a menor diferença para mim a esta altura do campeonato, e serve apenas à título de curiosidade sobre minhas origens. Provavelmente eu nunca vou saber se isso é verdade ou não...

A segunda coisa é que neste final de semana eu comecei a jogar o melhor jogo da minha vida! Chama-se Ragnarok Online, é um RPG coreano muito bom e bem feito, que esta rodando de forma beta em um servidor oficial aqui no Brasil (o BRO). O jogo não tem objetivo definido e nem final. Consiste em um mundo virtual 3D medieval baseado em animês (desenho japonês) em que a gente entra e cria um personagem e traça os nossos próprios objetivos (viver em uma cidade, ou juntar um X de dinheiro, ou comprar um determinado item, ou formar um grupo, ou simplesmente matar monstros). Começamos como aprendizes e depois escolhemos uma classe para atuarmos (mago, espadachim, noviço, ladrão, etc). Fiz um teste vocacional no jogo e a classe que segui a partir disso foi a de arqueiro. O nome do meu personagem lá é Quick Silver, por que quero que ele seja rápido e por que ele tem cabelos prateados. Eu queria dar o nome de Seraph, mas alguém já tinha registrado um personagem com este nome...

O mais legal no jogo é que você esta naquele mundo virtual (o mundo de Midgard - para jogar tem que estar conectado na Internet obrigatóriamente) e cruza com outros jogadores no meio do caminho. Os jogadores podem conversar com você e interagirem juntos. Podem formar grupos e se ajudar (eu criei o grupo Konoha Hunters, só tem eu e um outro cara até agora). No geral, as pessoas se ajudam dentro do jogo, isso é muito legal por que ensina a gente a não pensar só na gente, temos que ajudar os membros do grupo! Eu mesmo fiz um grupo com pessoas que acabara de conhecer no meio de uma floresta. Uma garota de Belo Horizonte e um rapaz de São José dos Campos... o jogo é legal por causa disso, não é um jogo isolado, você tem que se relacionar com pessoas de verdade, e acaba fazendo amizades!

Fiquei muito tempo sem escrever aqui. Vou tentar ser mais periódico.

31 de agosto de 2004

REFLEXÕES SOBRE MEU 27º INVERNO

Fico mais velho no próximo domingo, dia 05 de setembro, e de presente ganho um feriadão maravilhoso pra descansar e acelerar o meu projeto de conclusão de curso. A faculdade está terrível, muito difícil mesmo. Me desgastei demais no primeiro semestre e agora, no segundo, mesmo após as férias, estou sem ânimo pra nada, mas tenho que lutar, afinal é o meu futuro que está em jogo. Hum... me lembro do fato de que as lutas não são nossas, mas do Senhor.

Sabe, eu nunca tinha pensado no fato de que nasci no inverno. O inverno é a estação que é a minha cara, se bem que muita gente acha que o outono se encaixa mais comigo.

Já os meus treinos de Kung Fu estão indo bem. Esta semana já não estou tão dolorido, e estou começando a achar que no máximo em 2 meses volto a treinar com o pessoal da minha faixa. Isso é questão do meu empenho. Vou me empenhar bastante! O resultado que eu buscava agora, voltando a praticar Kung Fu, já esta aparecendo. Eu ainda continuo meio mal emocionalmente, mas melhorei bastante desde então. Ao menos acho que melhorei.

Finalizando, eu gostaria de me abrir à Deus sobre um assunto que vem sendo remoído na minha caxola. Antigamente eu usava este espaço aqui para fazer reflexões sobre o poder vivo e real de Deus, sobre as bençãos dadas por Ele e sobre a fé em Jesus Cristo. Algumas pessoas julgavam que quando eu escrevia aquilo, eu era uma ferramenta nas mãos de Deus, pois ajudava de alguma forma o seu reino aqui na Terra.

Mas eu parei com isso a algum tempo. Já não falo mais do que costumava falar e ninguém mais lê este blog a não ser o Senhor, Deus. Agora eu falo aqui do meu dia a dia, e volta e meia choro minhas pitangas.

Não estou gostando disso. Quero mudar. Ainda estou em processo de reaproximação de Deus (de mim para Ele, pois sei que Dele para mim não existe problema algum, Deus nunca nega a aproximação de ninguém, pelo contrário, ele espera por isso mais do que tudo), mas quero voltar a falar Dele e não de mim. Percebi que estava em apuros e estava extremamente triste, solitário, ruim mesmo, deprê e na fossa, e quando isso acontece eu me isolo de tudo e só vejo o meu umbigo e fico reclamando que ele esta sujo, ainda por cima. Infelizmente me isolo de Deus também nestes casos, justamente Dele, de quem eu nunca deveria me isolar, principalmente em ocasiões como esta.

23 de agosto de 2004

QUEBRADO

Como disse a uma semana atrás, sábado passado fui treinar. O que aconteceu foi que me colocaram para treinar com os faixas brancas, ou seja, os iniciantes, cujo treino é beeeeem mais leve que os treinos de faixa azul que eu tinha antes da minha parada forçada de 9 meses. Até ai tudo bem, fora o fato de que eu não aguentei nem mesmo este treino! Estou tão fora de forma que até um simples treino de faixas brancas, que era algo simples para mim, me deixou em um estado lastimável!

Estou com dores por todo o corpo, não consigo andar direito e meus braços eu nem mesmo consigo levantar muito. Estou sentindo muito o peso extra que ganhei neste meio tempo, e definitivamente chegou a hora de perder estes 20Kg a mais que eu tenho, para o meu próprio bem. Não por estética, mas por minha saúde e pela felicidade de poder praticar, de forma bem feita, o esporte do qual tanto gosto. Sem perder peso, vou acabar detonando os meus joelhos e não vou poder continuar meus treinos. Não vou poder conquistar meus objetivos no esporte.

Mesmo sentindo estas dores intensas, estou muito feliz em ter podido voltar. Sei que vai me fazer muito bem. Nas primeiras semanas vou sentir muita dor, mas daqui a um mês acho que elas já terão me deixado em paz. Pensando bem, acho que este tempo parado vai ser bom: reforçou minha determinação em treinar. Acho que esta determinação se espalhará para todas as outras coisas que eu faço. Espero que esta determinação seja aplicada em meu relacionamento com Cristo. Ainda estou com problemas neste sentido, mas estou me esforçando para voltar a orar e a ler a Bíblia.

Sei que estes passos são os passos mais importantes para construir um relacionamento com nosso Pai do céu, mas sinto falta de amigos que me apóiem e ajudem nisso, neste momento. Não estou falando de ir à igreja, à qual não tenho ido à noite por causa de trabalhos da faculdade que eu tenho que fazer. Estou falando de convívio com outros crentes, de ter um dia-a-dia com amigos que sejam irmãos em Cristo. Eu nunca tive isso, e não sei se é por isso que estou passando por este momento de abalo. Mas não quero mais ficar assim, e estou lutando para me aproximar de Jesus novamente, da forma que eu posso e com as forças que eu tenho.

Para finalizar, queria dizer que a Teca, esposa do Silvio e mãe do Danielzinho morreu semana passada (quarta-feira). Ela estava em coma a mais de 90 dias devido a uma cirurgia de redução do estômago. O Sílvio é um cara muito legal, mas que anda passando por uma série de coisas tristes nos últimos anos e a morte de sua esposa deve tê-lo abalado muito. Infelizmente eu não tenho tido contato com ele, desde que ele saiu da igreja. Agora ele corre o risco de perder a guarda do filho para sua sogra. Vou orar por ele, e se você acredita e aceita à Jesus, ore por ele também. As pessoas (eu inclusive) no geral se abalam por muito menos. Estou preocupado com ele e com seu filho, o Daniel. Eles precisarão de muito consolo e amor de Deus e dos amigos em uma hora como esta.

Isso me abalou um pouco. Como disse a alguns posts atrás, várias pessoas que eu conhecia tem morrido ultimamente e isso tem me deixado um pouco sensível, não necessariamente no bom sentido da palavra. Mesmo não sendo pessoas tão próximas, isso tem me abalado. A vantagem no caso da Teca é saber que ela está com Jesus agora, em um lugar muito melhor que esse, em que cirurgias de redução de estômago não são necessárias.

12 de agosto de 2004

O RETORNO

Meu retorno aos treinos de Kung-Fu estão próximos. Já marquei para depois de amanhã uma conversa com o professor Ortega, dono da academia, e devo voltar no início de Setembro, quem sabe. Espero que com isso eu possa estravasar novamente o monte de coisas ruins que eu carrego dentro de mim e que o esporte tanto me ajudava a dissipar. Espero que isso me ajude a restaurar minha comunhão com Deus, justamente por que espero me livrar de uma porção de coisas que se passam pela minha cabeça nos ultimos meses e que irão embora mais facilmente se o suor escorrer por meu rosto. Quero voltar a fazer o esporte que eu gosto e que me deixa feliz em praticá-lo.

2 de agosto de 2004

CRISE DE IDENTIDADE?



"Saike... você acha que o Saike de agora é o resultado das escolhas que você fez na vida? Ou você acha que é o resultado dos caminhos que alguém invisível traçou para você?"

Yuzuriha Nekoi conversando com Saike no mangá nº 8 de X/1999 (Clamp/Kodokawa/JBC)

A cada dia percebo que minha vida de nada vale sem estar nos caminhos que Jesus me quer ver trilhando, mas continuo no sofrimento como um masoquista. Como um homem pode se dizer feliz e em paz sem ter a Deus? Vejo o sofrimento que derramei nestas páginas, e percebo que o sofrimento é a forma como Deus nos faz voltarmos para Ele, pois é só no sofrimento que o ser humano, mesquinho e egoísta, se lembra de seu Pai, Senhor e Mestre.

Ainda sofro e ainda tenho muito o que fazer para voltar a me sentir bem com Deus... mas ainda bem! Se o sofrimento me levar de volta à Deus, mesmo que seja ruim, será bom. Não quero ser produto de minhas escolhas. Quero ser produto das escolhas de alguém que muitos consideram invisível e que se chama por Jesus. Enquanto eu sofrer, sei que Deus continua agindo, desejando que eu não me perca. O perdão eu espero que me lave a alma e me transforme naquilo que ele quer que eu seja e não naquilo que sou e não consigo mudar.

27 de julho de 2004

REBORN

Pai, as coisas estão complicadas e me sinto como uma verdadeira piada de mal gosto perante você. Problemas comigo e com pessoas que me cercam parecem não acabar nunca, e quando um destes problemas parece que vai acabar, logo aparece outro, pior e mais pesado que o anterior, como se um maldito rolo compressor me abatesse e me esmagasse contra o chão, sem me dar outra opção a não ser chorar e pensar em desistir...

Não tenho orado, não tenho lido, não tenho caminhado sob tua luz e sob as suas vontades. Não tenho te dado orgulho, e meus anseios agora são temores, e meus temores são predadores prontos para me abater e destroçar minha juntas e ligamentos, me sangrando como a um porco no dia do abatimento.

Não tenho orgulho do que estou passando agora, mas tenho medo do que vai acontecer. O lado escuro do ser humano é podre e nojento, me fazendo imaginar o porque das coisas e os motivos de tamanho sofrimento, e me criando dúvidas assassinas que embriagam o meu próprio entendimento. Tenho perguntas sobre isso e aquilo. Contesto as leis, contesto as evidências e me pergunto coisas secretas que só eu e você sabemos. Como posso ser assim tão humilhante para um pai de amor como você? Que caminho é esse em que a planta de meus pés estão agora?

Estou perdido em meio ao caos da minha vida. Já cansei de tentar entender as razões e os motivos que me levam a fazer o que faço. Já me enfastiei das tentativas idiotas de tentar me corrigir. Já me enjoei de tentar mudar minha mente imunda e de tentar amaciar meu coração endurecido. Já chega de mentiras, não quero mais ter que me preocupar. Tão pouco quero ter que agir. Desde menino eu descobri que não sou apto para ser eu mesmo. E a tempos compreendi que preciso de você para me nortear, Deus. Vem me salvar Jesus, pois ninguém mais o pode.

Mas aonde foi parar o meu primeiro amor? Aonde foi parar minha confiança em ti? Aonde foi parar a minha fé e minha certeza? Por que os pilares da minha alma se abalam? Não sei, afinal, que Tu és Deus e que Jesus de fato sangrou em meu lugar? Que eu merecia uma morte muito mais horrível do que a que a de Cristo justamente devido às minhas intransigências?

Por que me fizeste tão complicado meu Pai, se ainda posso chamá-lo assim... por que sou tão fraco e tão volúvel diante das águas avassaladoras desta mundo? Não estava com meus pés fincados na rocha de Jesus? Não estava decidido por você? Não creio então? Não sou salvo da morte eterna? Não sou teu servo? Não sou herdeiro da coroa da vida?

Pai... seja lá o que esteja acontecendo, e seja lá o que se passa por meu coração (pois nem mesmo eu sei ao certo o que se passa aqui agora), quero te revelar meu medo e minhas tristezas. Estou abalado demais, mas não consigo deixar de pensar no quanto devo estar te envergonhando e te entristecendo com minhas condutas, minhas faltas e com meus modos.

Eu quero voltar a ser, eternamente, um servo de verdade, um adorador de verdade, um crente em Jesus, de fato e integralmente. Quero renascer conforme a tua vontade. Quero te dar motivos para se alegrar de mim. Quero te entregar a minha vida e as minhas vontades. E quero te pedir que eu nunca mais me abalar desta forma, em nome de Jesus.

Pois pessoas precisam que eu esteja bem agora para ajudá-las em momentos também difíceis. Faça com que o Espírito Santo que habita em mim me transforme se manifeste guiando meus atos de acordo com o teu querer, e que verdadeiramente, em todos os sentidos, seja o Senhor a agir e não mais eu. Pois ser eu mesmo é complicado demais, e como eu já disse, não sou competente o suficiente para ser Daniel Paixão Fontes, ao menos não da forma que eu devo ser.

20 de julho de 2004

RECOMEÇAR

Pai, tá difícil manter o caminho
Tenho andado em meio a espinhos
Nem sempre é tão fácil acertar

Pai, emoções descalçam os meus pés
Me roubando em meio a cordéis
Que me enlaçam em minhas fraquezas

Pai, eu nem sei o que te falar
Mas, quero recomeçar
Me ajuda nesse instante

Preciso da tua mão, vem me levantar
Faz-me teu servo Senhor, me livra do mal
Quero sentir o teu sangue curar-me
Agora meu Senhor, vem restaurar-me


Recomeçar - Aline Barros

18 de julho de 2004

MATA-ME

Mata-me por ter pecado
Contra tudo em que acreditava
Mata-me por ter amado
E por não ter sido bom
E por ter errado tanto
Agora é tarde para voltar
E alguém me perdoar
Mata-me agora
Tira-me esta vida injusta e dolorida
Acaba logo com minha triste agonia
Mata-me



"Mata-me" - Tirado do ensaio "LAMENTOS"
Daniel Paixão Fontes em 26/12/9

15 de julho de 2004

ANIMEFRIENDS 2004

Estou melhor desde que escrevi a ultima vez, mas não 100%. Mas eu queria falar sobre o Animefriends. Eis aqui algumas fotos que tiramos lá:










Esta garota fazendo a Azuka de EVANGELION estava bacana...

... mas esta armadura de Cavaleiro de Cisne (Cavaleiros do Zodiaco) ficou 10!
Nunca tinha visto uma tão bem feita!


Esta ai estava de Serena, do Sailor Moon

Até o Legolas do Senhor dos Anéis passou por lá!
O cosplay ficou muito bem feito, no caso esta é uma mulher!


Isso ai foi na hora de ir embora (eu e o Diogo, de branco).
A barriga podia ter cortado, né Cris!?

Estava muito legal a convenção. O fato de estar com pouca grana me permitiu comprar apenas os livros da biografia do Osamu Tezuka e o ultimo número do One Piece. Os livros do Tezuka eu já li, e fiquei emocionado a cada página. Ele teve uma vida bastante dura, mas foi uma pessoa fantástica e literalmente genial, que realizou coisas que eu admiro bastante no âmbito profissional do mangá e animê, e no pessoal também. Se eu conseguir um dia fazer 10% do que ele fez, eu me realizarei profissionalmente. Não foi a toa que ele ganhou o título de "Manga no Kamisama" (Deus dos mangás). Ele foi fenomenal! E duvido muito que alguém um dia chegue aos pés dele no que diz respeito à produção de mangás e animês, tanto em qualidade quanto em quantidade.

Voltando ao Animefriends, a viagem ocorreu tranqüilamente graças à Deus. A Van que alugamos era muito boa, assim como o motorista, e com o guia das ruas de São Paulo que eu consegui emprestado, achar o lugar foi relativamente fácil.

Enfrentamos uma fila gigantesca para entrar (ano que vem, com certeza vamos comprar os ingressos antecipadamente) e nos deparamos com um lugar menor do que no ano passado, com bem mais pessoas e muito mais estandes. O lugar estava quase que insuportavelmente cheio e quente (era todo fechado e não tinha uma boa ventilação) e andar pelos corredores era uma experiência não muito agradável. Mesmo assim, o evento estava bem organizado e não ocorreu nenhum incidente grave (só um dos garotos que foi conosco na excursão é que passou mal e foi para a enfermaria, mas creio que devido à temperatura do lugar, que como disse, estava alta).

Havia muita novidade e coisa legal lá, mas sinceramente, preferi o Anime Friends do ano passado (2003) devido ao lugar ser aberto e ser maior. Mas isso não abalou o brilho do evento deste ano, e ano que vem estarei lá se Deus assim permitir.

Consegui encontrar o Ricardo do Fanzine Tupiniquim por lá, como havíamos combinado por e-mail, e saímos para conversar um pouco no Espaço das Américas, logo ao lado (já que no local do Animefriends nem lugar para sentar havia direiro). Pudemos conversar sobre muitos planos para o fanzine nos próximos meses, acabando assim com o marasmo pelo qual o fanzine vem passando a mais de um ano. Pudemos ver também uma amostra de um projeto que estamos desenvolvendo misturando desenhos 3D com desenhos convencionais, e o resultado ficou muito melhor do que eu esperava, chegando a me dar arrepios de tão bom que ficou.

Conversamos sobre projetos inovadores e as coisas, se rolarem mesmo, vão nos fazer voltar à ativa em grande estilo. Encontramos o Mauricio (outro integrante do fanzine) e fomos todos juntos comer uma pizza (eu, Diogo, Ricardo e Mauricio) em um shopping próximo dali. A Karin, a quinta integrante, estaria lá com outro fanzine do qual também faz parte, mas não a encontramos.

Comendo pizza e tomando um choop, conversamos animadamente sobre nossos planos, o Maurício me mostrou o capitulo 2 da história que estamos fazendo juntos (eu escrevo e ele desenha) e o resultando também surpreendeu demais! Resumindo, só tive boas surpresas quanto ao fanzine.

Depois disso, vendo que meu irmão Alexandre e sua esposa, a Karina, estavam muito cansados (a Karina é japonesa mas não curte desenhos), consegui acelerar o nosso retorno. O desejo era o de ficar até as 21:00hs e ver o show que ocorreria mais tarde até o seu final (vieram 4 músicos do Japão, cantores de músicas e desenhos e séries japonesas de sucesso). Mas ninguém, nem mesmo eu, aguentava mais ficar naquele lugar apertado, quente e barulhento. Fomos embora antes das sete da noite, e chegamos sem problemas em Campinas.

As melhores coisas do evento?! Encontrar o Ricardo (que eu não via a um ano) e o Maurício, comprar os livros que eu tanto queria ler e ver os cosplayers (pessoas que se fantasiam de personagens) que neste ano capricharam ainda mais.

Em setembro tem o FANMIXCON (11 e 12 de setembro) aqui em Campinas, e já conto os dias para esta data chegar. Fui ano passado e gostei, espero que este ano seja melhor ainda, mesmo por que o local vai ser o mesmo do ano passado (colégio Liceu, ele é enorme!) e isso é bom!

12 de julho de 2004

GOING DOWN

Questões são ardis de decepção. Sinto-me envenenado por situações tenebrosas e ameaças terríveis. Sinto que meus sonhos estão abalados e podem evaporar por falta de algo que não sei bem o que é. Se cada pessoa é diferente, por que algumas personalidades são fadadas ao sofrimento? Se eu tenho o direito de ser eu mesmo, por que sofro quando sou genuíno e tudo vai bem quando sou falso?

Tenho pensado até mesmo em coisas que muitas pessoas não pensam. Começo a questionar a própria definição de liberdade, e começo a achar que ela, de fato, não existe aqui neste mundo. Trata-se de um conceito inatingível para o ser humano. A liberdade é utópica. Somente Deus consegue defini-la completamente. É algo que está acima do ser humano, e acho que nenhuma pessoa no mundo será 100% livre enquanto estiver viva neste planeta. Somos escravos da vida em que nos metemos, e isso me atormenta demais.

Sinto-me como Paulo, mas às avessas. O que quero fazer não faço e o que não quero fazer, isso eu faço. É tão difícil de entender que nem mesmo eu sei o que está acontecendo. Só que sinto, a cada dia, que tudo pelo que lutei e o pouco que conquistei estão escoando por entre meus dedos como areia de praia. Nos últimos dias, parece que o que de mais precioso tenho está prestes a se perder.

Ainda sou um garoto, sabe? Finjo ser homem a maior parte do tempo, mas não passo de um garoto, triste por não ter seguido seus sonhos. Triste por levar uma vida que não condiz com seus planos outrora traçados (aliás, seus planos nunca traçados), uma vida cheia de complicações e situações de adultos. Triste por ter que levar sob suas costas responsabilidades que não gostaria de levar.

Todo homem é assim? Sinto-me um irresponsável e imaturo as vezes por pensar de tal forma, mas penso. Queria ser livre disso tudo, da vida que levo, dos sentimentos negativos que venho sentindo. Queria ser livre de mim mesmo.

Não queria ser analista, tão pouco programador. Não queria ter contas para pagar nem preocupações semelhantes. Não queria ter que acordar cedo, nem dormir tarde, nem ter que estudar uma coisa que não gosto, nem ter que conviver com pessoas das quais não aprecio a companhia. Queria que minha vida fosse um animê, daqueles em que o herói faz coisas tremendas e tem um final feliz. Mas minha vida parece, na verdade, um livro sério e tenebroso. Sinto-me como Heathcliff em ¿O Morro dos Ventos Uivantes¿. Será que é por isso que gostei tanto do livro quando o li, ainda na sétima série? Sou um homem solitário, dando socos no escuro e lutando contra o nada?

Lembro-me de momentos mágicos como meu primeiro beijo. Lembro-me de pessoas maravilhosas como minha noiva, e lembro-me de momentos de extrema felicidade como quando entendi que Deus me amava. Mas lembro-me também de momentos terríveis e situações extremamente desconfortantes pelas quais passei e venho passando. Meu pequeno copo diário de veneno...

Lembro-me do ódio que se agita nas entranhas do meu coração, ódio este que nunca dominei completamente, creio eu. Tais coisas ruins parecem engolir as boas, e isso tem provocado sofrimento à algumas pessoas à minha volta, que acreditam que a culpa é delas, e não é. Todo o turbilhão parece estar em mim, como uma fenda no leito do oceano de meu ser que draga tudo em redemoinhos irresistíveis.

Tenho feridas antigas que ainda sangram e outras pessoas sofrem por minhas dores. Como vi no OVA de Rurouni Kenshin, uma ferida feita com amargura nunca cicatriza por completo até que a pessoa seja perdoada... será este o caso? E se sim, perdão de quem? Meu ou daqueles que me feriram?

Nunca achei que passaria por isso. Nunca achei que seria responsável por outra pessoa neste nível, o de estar bem para que a outra pessoa estivesse bem também. Isso é egoísmo da minha parte? Ou estou sendo apenas humano?

Fico mais triste ainda quando me lembro que algumas pessoas vieram a mim em momentos de dificuldade e eu as ajudei da forma que podia. Agora que eu mesmo vivo um momento de dificuldade, a quem irei recorrer? Somente eu e Deus uma vez mais. Mas por que a dor agora parece ser maior? Por que outras pessoas sofrem pelo meu sofrimento, e isso me preocupa pois parece que entramos em um ciclo eterno de alimentação negativa um para com o outro. Algo tem que quebrar este ciclo.

Mas o amanhã virá. O amanhã trará novos ares e novas esperanças. O amanhã restaurará tudo o que foi trincado, quebrado e perdido. Por que o amanhã à Deus pertence. E aquilo que não pode ser restaurado ou recuperado, o amanhã enterrará, pois este é o ciclo imutável da vida na Terra.

Seria demais eu pedir à Deus que me perdoe? Seria demais eu pedir a Ele que concerte tudo o que eu estraguei e está errado em minha vida? Seria errado eu pedir a Ele que acabe com o sofrimento? Seria errado eu pedir a Ele que molde minha personalidade deformada para uma que não seja auto-destrutiva como a minha? Seria errado eu implorar à Deus que tudo, pelo Seu poder, fosse transformado, o mundo fosse um bom lugar para se viver, a vida não fosse uma loucura e eu fosse uma pessoa decente ao menos para a mulher que eu amo, e que eu pudesse realizar-me completamente nas coisas que faço? Seria errado eu parar de me debater e deixar a vida continuar a me levar em suas águas e corredeiras?

Quero finalizar dizendo que não importa o que eu diga, faça ou pense. Sei que Deus, independente do que eu pensar, está ao meu lado e sofre por mim também devido a tudo de errado que eu venho fazendo e à esta situação toda pela qual vivo agora. Mas se eu fico mais comovido com o sofrimento de minha noiva perante meu estado do que com o sofrimento de Deus, eu tenho que repensar muito se eu de fato sou crente ou não, e ainda mais: se eu sou de fato um homem ou uma criança.

Já ouvi muitas pregações dizerem que não há lugar para frouxos nas fileiras do exército de Deus. Fico pensando então que talvez não exista lugar lá para mim, mas me lembro que não posso abandonar a esperança no Senhor, pois a força necessária não está em mim, mas sim nele. Se perder esta esperança, o que me sobrará então?

Desculpe o desabafo, mas botar para fora tanta coisa funciona como uma terapia para mim. Desde a infância escrever foi uma de minhas válvulas de escape. Atualmente,m acho que é a única. amanhã já devo estar melhor, mas hoje, nem mesmo trabalhar estou conseguindo. Isso faz parte da minha humanidade. Não consigo ser frio o suficiente para separar tão bem as coisas. Elas se misturam por que eu não sou vários, mas sim um só. E o que acontece com um de meus personagens acontece comigo mesmo. Todos desempenhamos papeis diferentes todos os dias. Só que hoje, em especial, não consigo interpretar ninguém. Hoje eu só consigo ser eu mesmo... e eu mesmo estou muito cansado, preocupado e triste para fazer qualquer outra coisa além do que estou fazendo agora...

6 de julho de 2004

MORTE, CONTOS E CACHORROS

É triste e estranho quando alguém que você conhece morre. Fui ao enterro da sogra do meu irmão no domingo passado, e até ajudei a carregar o caixão. Mas é muito estranho você conhecer alguém, ver esta pessoa falar, comer, sorrir, viver e, de repente, ver seu corpo sem vida em um caixão, vitima do cancêr. Não é algo que parece real, e não é pelo fato de haver algum choque emocional. É pelo fato de que a morte, para mim, não é algo real, ao menos não é algo natural.

Sei do sofrimento da namorada do meu irmão e do pai dela, e inclusive de meu irmão, mas tudo me pareceu quase um filme em alguns momentos. Fico constrangido as vezes por aparentar uma insensibilidade tão grande, mas não consigo imaginar que este seja o fim e portanto não consigo ficar triste a um nível muito profundo.

Olhando para o corpo sob o caixão, fiquei pensando se ela estava realmente morta. Se ela acreditava em Jesus Cristo e o amava a ponto de ter se entregado a ele, tenho certeza absoluta de que ela continua viva em um lugar muito melhor, e que um dia vamos nos rever. O corpo era apenas uma casca. Seu verdadeiro eu continua vivo.

Esta é a segunda pessoa que eu conheço que morre neste ano. A primeira foi a Simone, da igreja, mas eu não pude ir no enterro dela. Espero que demore bastante até que outro conhecido parta para o lado de lá. Já disse que não fico triste profundamente, mas fico triste ainda sim.

Fora isso, temos uma nova moradora em minha casa. Foi achada abandonada na rua, chorando muito e com muita fome. É uma cachorrinha linda, Fox Paulistinha, branca com manchas das cores preta e marrom, de 2 meses de idade, à qual minha noiva sugeriu um nome e minha mão acatou: Lua. Eu bem que tentei sugerir HIME, mas não gostaram. Fazer o que.

Ela é uma cachorrinha espoleta, que tem dentinhos afiados e adora morder tudo o que vê. Meus pais a levaram ao veterinário ontem para ver seu estado e dar as vacinas necessárias. Ela está magra, mas vai ficar bem se comer adequadamente.

Os outros cachorros (a Duna, que é da mesma raça, e o Jack, que é um poodle safado que temos lá em casa) estão morrendo de ciúmes, mas fazer o que? Daqui a algum tempo eles se acostumam...

Para finalizar: saiu o resultado do concurso de contos da Universidade Federal de São João Del Rei, na qual eu havia me inscrito com 2 contos. Nenhum deles ficou entre os 20 primeiros, que farão parte do livro sobre o concurso. Havia me inscrito com um conto chamado "Necessidade Maldita" e com outro chamado "Sonhos Elétricos de uma Mente Quântica", que na minha opinião foi um dos contos mais trabalhados e bons que eu já fiz na minha vida.

Sei que estavam bem escritos e todos para quem eu os mostrei gostaram bastante, mas pelo visto ficção científica continua não sendo bem vista pelos escritores, pela critica e pelos leitores brasileiros, e eu acho sim que este foi o motivo de nenhum deles ter ficado dentre os 20 primeiros. Não desmereço os ganhadores e os outros participantes, mas o fato é que eu pagaria pau para esta história mesmo que não tivesse sido escrita por mim. Acho que vou ter, de fato, que aprender inglês e começar a escrever para um público mais pop no exterior. Mas isso já são outros 500...

29 de junho de 2004

CONTAGEM REGRESSIVA

Falta menos de duas semanas para o Animefriends 2004. Consegui reunir gente o suficiente para alugar uma van e, assim, poder assistir ao show da Masami Okumi, uma cantora japonesa de J-POP que já cantou alguns temas de anime dos quais gostei bastante. O legal é que um pessoal da igreja vai (o JP, o Chris e a namorada dele, e a Lara). Será bacana, pretendo levar máquina fotográfica e tirar umas fotos. Obviamente colocarei as fotos aqui... mas acho que não vai fazer diferença, por que este blog tá mais vazio que rua em dia de jogo da seleção brasileira. A impressão que dá é que o pessoal que antigamente lia este blog debandou.

Lista de coisas que eu vou comprar com certeza no AF2004 se eu achá-las lá:
- Parte 2 da Biografia de Osamu Tezuka (no estande da Conrad lá vai estar mais barato)
- Parte 3 da Biografia de Osamu Tekuza
- X #8
- GUNM #14
- One Piece #28

Lista de coisas que eu gostaria de comprar, mas não sei se vou por não querer gastar muito com bobagens:
- DVD da Viagem de Chihiro
- DVD do MEMORIES do Katsuhiro Otomo
- DVD de algum outro anime bacana que eu veja por lá
- Uma camiseta ou blusa de algum anime bacana (como Lodoss War, Astroboy ou algum outro que me agrade)
- Uma camiseta do Instituto Hiten de kendô, igual a aquela que eu vi no Fanmixcon no ano passado mas que só tinha tamanho M e o Diogo acabou arrematando (ela é de um vermelho bem bonito com um grande kanji no peito em preto, cujo significado é paz)
- Outras coisas legais como um boné

Já o meu trabalho está bem legal, mas ando preocupado com meu desempenho. A minha primeira avaliação será em breve, e dela (e da segunda) dependerei para continuar aqui. Dou o meu melhor, mas programar é algo que cansa muito a mente (só quem programa sabe como é), e as vezes eu tenho que dar uma parada. Fico preocupado com isso, mas realmente quando eu dou uma paradinha, é por que estou em tal situação que eu não consigo mais traçar nenhuma lógica em minha mente, nem mesmo acompanhar. Que Deus me ajude quanto a isso.

E por falar em Deus, estou prestes a terminar o discípulado que o Milton estava fazendo conosco na igreja. Depois disso, vou tentar fazer o mesmo com meus pais. É uma série de 10 estudos (semanal) que ajuda bastante a gente a se aproximar de Deus. Não sei se eles vão querer fazer isso, mas estou entregando nas mãos de Deus desde já. A idéia é imprimir apostilas do material e entregar a eles se eles quiserem fazer o estudo.

Tenho notado também que eu não tenho escrito muito sobre meu relacionamento com Deus nos últimos tempos. Acho que o motivo para tal é que, novamente para minha vergonha, eu tenho corrido tanto que não tenho tido tempo para Deus. E isso tem me envenenado. Não tenho orado regularmente, nem tenho lido a Bíblia com freqüências, e tenho me preocupado muito com isso. Sei muito bem o que vai acontecer se eu continuar assim. Sei que vou ficar deprimido de novo, sei que vou ficar cabisbaixo... e sei que vou dar uma guinada e vou buscar ardentemente à Jesus novamente. Mas sei que depois disso ainda voltarei à esta situação de ostracismo em que me encontro... e sei que não é isso o que Deus quer de mim e de ninguém. Ele quer um mínimo de freqüência, ele quer uma média em nosso comprometimento com Ele.

O que fazer para me tornar um crente equilibrado? Antes eu pensava que o tempo me daria a têmpera necessária. Mas o tempo vem passando e eu não tenho notado nenhuma melhora em meu modo de agir. Será que preciso juntar vergonha na cara?

Para piorar a situação, a sogra do meu irmão está morrendo no hospital, vítima de cancêr, e eu fico me sentindo um pouco culpado por nunca ter me aproximado dela para falar mais abertamente de Deus. Ela é católica, mas não sei até que ponto ela se aprofundou em seu relacionamento com Jesus. Espero que tenha sido o máximo possível para que ela não pereça juntamente com seu corpo, mas sim que ganhe um novo corpo glorioso no paraíso, ao lado de Jesus. É o que todos queremos, e é o que todos precisamos.

21 de junho de 2004

DOR

Este final de semana senti muita dor e mal estar. Peguei uma gripe terrível e passei a sexta inteira trabalhando com febre, tonturas e calafrios. Foi terrível.

Depois, sai e fui cambaleando para uma farmácia. Comprei Coristina D e ai meu segundo martírio teve início. Nunca tive reação à Coristina, que é basicamente um a aspirina, mas ela acabou com meu estômago e estou tendo fortes dores abominais até agora. Comprei Luftal para melhorar a dor, e agora espero que ele não me cause nenhum efeito colateral. Não aguento mais estas dores, elas são insuportaveis!

P.S.: Leiam CHIN-CHAN, o desenho é podre mas as histórias são engraçadas demais!